Vamos conversar?

Quer saber mais sobre algum empreendimento ou possui alguma dúvida? Entre em contato conosco!

Bem-vindo ao Blog

14 / 10 / 2021

Como sair do aluguel e realizar o sonho da casa própria

O número de imóveis alugados representa cerca de 18,3%, o equivalente a 13,3 milhões das moradias brasileiras, segundo o IBGE. O dado demonstra a quantidade de pessoas que ainda vivem pagando aluguel e reforça o maior desejo dos brasileiros: ter a casa própria.

Muitos fatores influenciam essa questão, principalmente a falta de planejamento. Contudo, esse é apenas um dos erros que são cometidos e impedem o indivíduo de sair dessa condição.

Para ajudar você a realizar o sonho de conquistar o imóvel próprio, apresentamos quatro dicas de como evitar os principais deslizes. Continue lendo até o final e dê adeus à moradia alugada.


Sair do aluguel é sinônimo de vantagens

Muito além de casar ou comprar um carro, a casa própria é, para muitos, a principal conquista da vida adulta, isso porque o imóvel é tido como uma ambição que promove muitas vantagens.

Além de ser uma conta a menos todos os meses, a liberdade de poder reestruturar os ambientes, mexendo na decoração, nos pisos, nos móveis, no quintal e nos outros espaços a qualquer momento, é um dos primeiros benefícios.

Ao locar um imóvel, não ter dinheiro para pagar a imobiliária tira o sono de muita gente. Porém, ter a residência no seu nome é motivo de segurança, principalmente em momentos de instabilidade econômica, como na perda de uma renda fixa.

A valorização da moradia também é uma enorme vantagem, pois, caso você queira se mudar para outro país, por exemplo, poderá vendê-la por um valor ainda mais alto do que pagou por ela.

Entretanto, para parar de alugar e comprar o seu novo lar, é preciso evitar algumas situações. Confira a seguir quais são elas.


Falta de controle sobre as finanças

O desequilíbrio das finanças é um fator crucial, por isso, aprender a cuidar do seu dinheiro, estabelecendo metas é um bom primeiro passo.

Primeiramente, coloque no papel a sua receita mensal, como salário e outras fontes de renda. Depois, faça um diagnóstico daquilo que você gasta mensalmente, listando despesas, como:

  • Aluguel

  • Condomínio

  • Água

  • Luz

  • Gás

  • Manutenção da casa

  • Escola dos filhos

  • Faculdade e outros cursos

  • Planos de saúde da família

  • Medicamentos mensais

  • Compras do mercado

  • Combustível ou transporte público

Após, anote os gastos variáveis, como: roupas novas, jantares fora, cuidados pessoais, academia, lazer, dívidas, etc.

Por último, com o intuito de estabelecer os seus objetivos, veja a quantidade de dinheiro que você tem no mês (líquido); some as despesas essenciais e as variáveis, verificando o valor total; por quanto tempo ele estará comprometendo seu orçamento e, por fim, quais deles é possível cortar.

Acúmulo de dívidas

Percebe como aquelas dívidas têm prejudicado o seu saldo? Indicamos priorizar elas, quitando as que têm as taxas mais altas e realizando negociações seguras com os bancos e financiadoras, com o propósito de reduzir os juros.

Precisa comprar algo? Evite usar o cartão de crédito e opte por empréstimos consignados, por exemplo. Contudo, isso vai de encontro com o próximo erro comum. Continue lendo!


Comprometimento da renda com gastos desnecessários

A disciplina é essencial para definir limites e não desequilibrar o orçamento. Basicamente, se aquilo não é de extrema necessidade para aquele momento, ou tem chance de comprometer o seu saldo, NÃO deve ser comprado.

O impulso é um dos maiores problemas das pessoas, mas, se elas tiverem em mente as metas citadas no primeiro tópico, ficará mais fácil economizar.

Agora que os erros já foram apresentados e você sabe como evitá-los, vamos às dicas de como comprar a casa dos seus sonhos.


Junte dinheiro para dar uma boa entrada

O planejamento financeiro, citado anteriormente, é primordial para juntar a quantia necessária para dar entrada no imóvel. Um bom jeito de organizar isso, é seguindo a fórmula 50-30-20, que funciona desta forma:

  • 50% da renda deve ser destinada aos gastos essenciais

  • 30% para os gastos variáveis

  • 20% para quitar dívidas e fazer uma reserva financeira

 

Realize trocas conscientes

O local de trabalho fica mais perto do seu lar do que do shopping? Fazer as compras da semana para poder cozinhar em casa, ao invés de comer fora todos os dias, é uma troca que vai gerar inúmeros benefícios, principalmente para o seu bolso.
Este é apenas um dos mais variados modos de repensar as suas prioridades e transformar os seus hábitos.


Financiar é uma alternativa

Se não é viável pagar a residência à vista, pesquise as opções de financiamentos disponíveis no mercado. Com suas inúmeras particularidades, que envolvem taxas e cláusulas, é importante conhecer cada uma delas e aderir a proposta que melhor se adequa às suas condições.
Outras formas para planejar e guardar dinheiro podem ser encontradas aqui.


Faça uma pesquisa aprofundada dos imóveis

Casa ou apartamento? Longe da cidade ou nos principais centros urbanos? Estas questões devem ser consideradas na hora de procurar o imóvel ideal.

Considere o tamanho, o preço que você pode e quer pagar, a divisão das peças, a quantidade de vagas na garagem, a acessibilidade (se é próxima do trabalho, de mercado, farmácia, etc.), se é novo ou está na planta, dentre outros aspectos.


Gostou do conteúdo?

Continue no blog da Neo para conferir mais dicas como essas.

QUERO MAIS DICAS

 


Notícias mais Lidas

Como sair do aluguel e realizar o sonho da casa própria
2021-10-14
Parar de pagar aluguel e adquirir um imóvel próprio é um sonho, mas existem muitos erros que podem distanciar você dessa conquista. Quer evitá-los? Leia Aqui!
Leia mais
Escritório em casa: confira 5 formas para criar o seu
2021-09-21
Se o home office faz parte da sua vida, ter um escritório em casa é fundamental. Descubra como criar o seu com as dicas que a Neo trouxe para você. Leia Mais!
Leia mais
CRM para corretores de imóveis: a tecnologia pode ajudar a melhorar suas vendas
2021-09-15
Venha com a Neo e descubra o que é o CRM e como ele pode auxiliar os corretores a melhorar a relação com os clientes e, também, potencializar as suas vendas.
Leia mais